Buscar

Por que a bolsa vem andado de lado? Qual o melhor caminho?

São vários motivos que podemos atribuir à queda da bolsa brasileira no mês de agosto e início de setembro:


1- As questões políticas se encontram complicadas;


2- Nossas perspetivas econômicas permanecem instáveis;


3- O Brasil ainda é visto como um país inseguro para se investir, no meio dos países mais desenvolvidos;


4- O lucro futuro das empresas brasileiras, em sua maioria, ainda estão em check;


5- Realizações de lucro (venda de ações) no mercado americano.


Para investidores de longo prazo, essas premissas são as mais relevantes.


Com isso, quais são as previsões para o mercado nos próximos meses/ anos?


Como sempre, haverão analistas otimistas e pessimistas para o mercado de renda variável.


Nesse contexto de instabilidade é importante nos perguntarmos:


Estou disposto à sofrer volatilidades com o meu dinheiro no meio dessa insegurança fiscal/ política?


Estamos prestes à enfrentar eleições no Brasil e nos EUA, estou disposto à tomar risco nessa situação?


Ainda não temos segurança sobre as reformas que precisam ser aprovadas para se ter um equilíbrio fiscal. Dessa vez vai ser diferente?


Esses pontos causam receio em investidores pessoas físicas e institucionais.


Para quem não viu os 10 motivos para investir em renda variável na última transmissão, sugiro que releiam.


Além dos pontos citados, existe um ponto que é de consenso do mercado:


A MAIOR RENTABILIDADE PARA O MERCADO BRASILEIRO, NO LONGO PRAZO, SE ENCONTRA NA RENDA VARIÁVEL.


Digo isso pois os juros devem permanecer baixos por um tempo e o fluxo de investidores migrando para a renda variável não para de crescer.


Se você pudesse alocar 10% do seu capital em investimentos no mercado financeiro para 5 anos:


Você estaria mais sujeito à alocar estes recurso em uma renda fixa, rendendo aprox. 3% ao ano ou aceitaria a volatilidade da renda variável, e obter rentabilidades que podem te render, aproximadamente, 10x mais?


Claro, que na renda variável os rendimentos estão sujeitos à riscos muito maiores.


No entanto, se você tem a segurança de que não utilizará esses recursos nos próximos anos, quanto de risco você realmente está tomando?


Se analisarmos bons fundos de ações ou carteiras recomendadas de casas renomadas, podemos ver que as maiores rentabilidades se encontram na renda variável em um longo prazo.


É importante ressaltar que o mercado pode permanecer irracional por mais tempo que você tenha solvência. Por tanto, é essencial saber quanto do seu capital está sujeito à oscilações.


(É importante diversificar sua carteira em diversas classes de ativos!!!)


Sendo assim, para investidores buscando rentabilidades maiores que a SELIC (2% ao ano hoje), estamos em linha com XP e Eleven Finacial, de que o mercado de ações irá remunerar os investidores mais do que outras classes de ativos.


As perguntas que vocês precisam se fazer são: Quanto do meu capital investido está disposto a sofrer volatilidade? Por quanto tempo eu sei que posso deixar esse capital investido?


A verdade é que não tem almoço de graça no mercado. Para obter ganhos consistentes, é necessário que o investidor tenha uma visão de longo prazo.


Investidores que acertam altas e baixas do mercado consistentemente são aproximadamente 1%-3%.


Você se encontra nessa porcentagem?


Arthur Figueiró - Império Investimentos


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo